Por todo o Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, lá estão elas, as grandes árvores de troncos lotados de bolas e flores incomuns, lotando a madeira quase do chão à copa. É o abricó-de-macaco (#Couroupita guianensis), espécie exuberante típica da Amazônia, abundante no Brasil, mas quase em extinção no Panamá. As flores e os frutos do abricó nascem exatamente do mesmo jeito que na jabuticabeira: rente ao tronco da árvore. Mas, ao contrário da frutífera, no abricó as flores são enormes, do tamanho de um punho fechado, muito vistosas, perfumadíssimas e intensamente visitadas por beija-flores. Já os frutos... Tenho dó de quem se arrisca a encostar naquela seiva branca, grudenta e fedida que as cabaças exalam. São dias pra sair o fudum! Difícil entender como uma flor tão bonita e perfumada dá origem a um fruto tão bizarro e fedorento. Mas que é linda essa árvore, ah, isso é...
635 likes
Log in to like or comment.